Um anel para tudo controlar

11/02/2020 Posted by Tecnologia 0 thoughts on “Um anel para tudo controlar”

Dispositivo desenvolvido na Universidade de Washington aumenta as possibilidade de interação com computadores e celulares e auxilia no controle de enfermidades. 

 

Smartphones estão em todos as mãos e já não é difícil encontrar nos pulsos de várias pessoas um elegante relógio inteligente que informa muito mais do que apenas a hora certa. Em meio a toda essa tecnologia, cada vez mais nova e surpreendente, o bom e velho mouse é um sobrevivente, mas há quem possa ameaçar seu longevo reinado. 

Um grupo de pesquisadores da Universidade de Washington está desenvolvendo o AuraRing, combinação de anel e smartwatch capaz de detectar a posição e acompanhar os mais sutis movimentos do dedo de seu usuário. 

Por dentro do anel passa um conjunto de fios enrolados, nos quais uma corrente elétrica faz gerar um campo magnético captado por sensores na pulseira. Com base nos valores detectados, o sistema pode identificar em tempo real e com precisão milimétrica a posição do dedo em que está colocado. 

O AuraRing tem sensibilidade suficiente para captar várias intensidades e tipos de movimento, o que pode abrir uma vasta gama de interações possíveis. “Por exemplo, se você escrever ‘olá’, poderá usar um toque ou um beliscão para enviar esses dados. Ou em um jogo parecido com o Mario, um toque pode fazer o personagem pular, mas um beliscão poderia fazê-lo dar um super pulo”, comenta Farshid Salemi Parizi, estudante de doutorado em engenharia elétrica e de computação, líder do projeto. 

O equipamento pode ser usado para transmitir movimentos da mão real para uma mão-avatar em um contexto de realidade virtual e mesmo para registrar a caligrafia do usuário. Como usa um campo magnético, permite rastrear os movimentos mesmo quando a mão não está visível, como quando uma pessoa está em um ônibus lotado e não consegue alcançar seu telefone. 

E, segundo a equipe, sua utilidade pode superar a interface com celulares e computadores. O orientador do projeto, professor Shwetak Patel, cita exemplos: “O AuraRing pode detectar o aparecimento da doença de Parkinson, rastreando tremores sutis nas mãos, ou ajudar na reabilitação do AVC, fornecendo feedback sobre os exercícios de movimentação das mãos”. 

Os resultados obtidos até agora foram publicados no “Proceedings of the ACM on Interactive, Mobile, Wearable and Ubiquitous Technologies”. 

Ao que parece, pelo que promete, quando estiver disponível o anel será desejado por muitos e será tido como um item precioso, tal qual um certo semelhante da ficcão. 

Na imagem, uma demonstração do AuraRing em ação (Créditos: Dennis Wise/University of Washington)

Tags: , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *