Universidade high-tech

24 de maio de 2019 Posted by Tecnologia, Tendências 0 thoughts on “Universidade high-tech”

Conheça algumas tendências de impacto da tecnologia na educação superior.

As universidades são importantes espaços para o avanço científico, desde o período medieval. Compartilhada por estudantes, professores e pesquisadores, os campi tornaram-se não apenas local de inovação, mas também objetos de estudo e aplicação de novas tecnologias. Muitas com grande potencial de impacto no ensino superior, fazendo com que a academia se beneficie de algo que ajudou a desenvolver, conforme aponta o Gartner Inc.. O estudo apresenta uma série de inovações e sua incorporação vale como diferencial competitivo para instituições privadas e para a excelência de centros públicos. Não por acaso, as edtechs estão em ascensão, com o chegada ao mercado de novas empresas e soluções em educação.

Conheça quatro inovações das universidades high-techs:

• Plataformas híbridas de integração são um exemplo já em uso e em franco desenvolvimento. Esses sistemas mesclam ferramentas na nuvem e armazenadas localmente para a gestão do relacionamento com os alunos e de seu aprendizado. A partir dessas plataformas e dos dados que coletam e armazenam – uma espécie de CRM da vida acadêmica – é possível traçar uma visão em 360 graus da universidade e do aluno, constituindo um rico panorama desse contexto.

Torna-se possível, também, colocar em jogo práticas de análise preditiva, que reconhece nos dados históricos padrões e resultados prováveis, utilizando-se de ferramentas de estatística ou machine learning. A ideia é estimar a demanda por determinado curso, mensurar materiais e insumos necessários para as atividades acadêmicas, antever tendências de reprovação, trancamento de matrícula, evasão, entre outros.

A chamada Nudge Tech é outra aliada. Tecnologias de nuvem, móveis, sociais e de dados são utilizadas para criar interação personalizada e rápida com os alunos, professores e outros colaboradores. Nudge pode ser traduzido por “cutucar”, e indica a intenção por trás do uso desse conjunto de tecnologias para impactar o comportamento do usuário, como por exemplo ajudar no controle de momentos de estudo e lazer, promover comunicação em tempo real, encaminhar lembretes, etc.

Frentes mais incipientes, mas bastante promissoras, envolvem a Internet das Coisas (IoT) no desenvolvimento de um conceito de Campus Inteligente, quer seja físico ou digital, no qual os membros da comunidade acadêmica têm experiências imersivas e automatizadas, potencializando o aprendizado. Realidade virtual, realidade aumentada e soluções robóticas aparecem como aliados.

Todo esse contexto envolvendo sistemas, algoritmos e dados levanta, como não poderia de ser, questões relacionadas à segurança e ao gerenciamento de risco. Junto dos avanços que estão sendo ou prometem ser implementados nas instituições superiores, é preciso atentar para a conformidade com os padrões regulatórios em vigor e garantir a privacidade e confiabilidade aos envolvidos.

Tags: , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O blog de ideias da GoToData

Compartilhe

Facebook
Twitter
LinkedIn