As tecnologias emergentes de 2019

18 de setembro de 2019 Posted by Tecnologia, Tendências 0 thoughts on “As tecnologias emergentes de 2019”

Lista do WEF reúne especialistas para selecionar tecnologias que podem ser relevantes no futuro.

Ano após ano o Fórum Mundial Econômico (WEF) reúne um comitê internacional de experts em tecnologia de ponta com um objetivo em comum: selecionar e listar as 10 melhores tecnologias emergentes do ano. O comitê solicita indicações de grandes nomes da tecnologia ao redor do mundo e as avaliam a partir de diversos critérios.

A tecnologia sugerida tem o potencial de prover benefícios sociais e econômicos? Ela pode alterar a maneira de fazer algo? Ela está em estágios iniciais de desenvolvimento, mas ainda assim atraindo interesse de pesquisadores, companhias ou investidores? Ela pode abrir caminhos significativos nos próximos anos? Todas essas questões são levadas em conta pelos profissionais selecionados na hora de identificar as melhores tecnologias emergentes.

As 10 tecnologias selecionadas para o ano de 2019, estão a seguir e podem ser encontradas com mais detalhes em relatório emitido pelo Fórum.

  1. Bioplásticos para a economia circular

Menos de 15% do plástico no mundo é reciclado. O plástico biodegradável, apesar de oferecer uma solução, não possui a mesma resistência do plástico comum. O bioplástico, que é produzido a partir de fontes renováveis, se apresenta como uma solução de ambos os problemas, uma vez que ele deriva de e pode ser posteriormente transformado em biomassa.

  1. Robôs sociais

Os robôs estão interagindo de forma cada vez mais humana, reconhecendo vozes, emoções, interpretando padrões, até mesmo fazendo contato visual. Conforme esses robôs se popularizam, podemos prever mudanças drásticas na forma que ocorre o cuidado aos idosos, a educação de crianças, bem como a realização de outras tarefas.

  1. Lentes pequenas para dispositivos em miniatura

Hoje temos disponíveis lentes incrivelmente pequenas para smartphones, tablets e outros aparelhos eletrônicos, mas uma série de avanços levaram a criação das chamadas metalenses. Essas lentes poderiam criar sensores muito menores e avanços em captação e transmissão de imagens em aparatos médicos.

  1. Proteínas desestruturadas como alvos de medicamentos

As proteínas intrinsecamente desestruturadas são proteínas que não possuem uma estrutura rígida, e que possuem certa facilidade para serem desordenadas e levar ao câncer e outras doenças. Os avanços na medicina apontam pra um futuro onde será possível garantir a estabilidade dessas proteínas durante o processo de tratamento.

  1. Fertilizantes inteligentes

Os novos fertilizantes estão deixando de usar amônia, ureia e potássio em sua composição, elementos extremamente danosos para a natureza, e estão passando a utilizar fontes ecologicamente amigáveis de nitrogênio e microrganismos que ajudam no crescimento das plantas.

  1. Telepresença colaborativa

As telecomunicações e a globalização já facilitaram e muito a elaboração de reuniões com pessoas que estão distantes, mas com essa tecnologia podemos dar um passo além. A ideia é que você possa de fato se sentir dentro de uma sala com seus companheiros, e até mesmo sentir o toque deles em um aperto de mão, por exemplo. Com o uso de tecnologias como a Realidade Aumentada, Realidade Virtual , o 5G e sensores avançados, até mesmo consultas médicas poderiam ser realizadas à distância.

  1. Embalagem e rastreamento avançados de comida

Cerca de 600 milhões de pessoas comem alimentos contaminados a cada ano e é essencial localizar a fonte de um surto o quanto antes. Com a tecnologia Blockchain, será possível rastrear a comida em questão de minutos.  Juntando isso a sensores nas embalagens, que podem indicar o estado do alimento e a data de vencimento, podemos ter um consumo mais eficiente e seguro.

  1. Reatores nucleares mais seguros

Apesar da energia nuclear não produzir CO², os reatores possuem certo risco devido à possibilidade de superaquecimento e até mesmo explosão, em certas condições. Novos combustíveis, porém, estão se mostrando cada vez menos propícios a superaquecer, produzindo quase ou nenhum hidrogênio, que é a causa principal da explosão.

  1. Armazenamento de dados baseado em DNA

Nossos sistemas de armazenamento gastam muita energia e não estão se mostrando eficazes em acompanhar a quantidade de dados que nós produzimos, mas pesquisadores estão usando armazenamento de dados baseado no DNA como uma alternativa de baixo custo energético e com alta capacidade.

  1. Armazenamento de larga escala de energia renovável

O armazenamento de energia gerada por fontes renováveis ​​para quando não há sol ou vento tem sido uma barreira ao aumento da absorção. As baterias de íon de lítio devem dominar a tecnologia de armazenamento na próxima década, e os avanços contínuos devem resultar em baterias que podem armazenar até oito horas de carga – tempo suficiente para permitir que a energia gerada por luz solar, por exemplo, atenda ao pico da demanda noturna.

Tags: , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O blog de ideias da GoToData

Compartilhe

Facebook
Twitter
LinkedIn